Buscar
  • Por revistanelore

ANC: a casa dos selecionadores brasileiros

Sede da associação foi reinaugurada em novembro em Pelotas (RS)


Ignacio Tellechea, a prefeita Paula Mascarenhas e Joaquin Villegas.

Assim como o movimento acompanhado na pecuária brasileira, a Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC) registrou expansão nos últimos três anos. Os crescimentos foram obtidos no quadro de sócios e nos registros de animais.


O número de exemplares nascidos passou de 47.235 em 2018 para 58.540 em 2020, crescendo 23,9%. A quantidade de animais avaliados pelo Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo) teve um avanço de 25,5%, passando de 16.307 para 20.477 no mesmo período. O número de sócios da ANC cresceu 12% nos últimos dois anos. Os dados foram apresentados pelo então presidente da entidade, Ignacio Tellechea, no dia 29 de novembro, durante assembleia.


Para Tellechea, a tendência é de que esses números continuem se expandindo nos próximos anos, principalmente como resultado do investimento da associação em tecnologia. “Isso retrata o bom trabalho da nossa diretoria e de toda equipe de funcionários que se esforçaram para garantir que a ANC acompanhasse o processo de tecnologização da pecuária, garantindo mais facilidade e rapidez no processo de registro”, ressaltou.


A missão de dar sequência ao trabalho inovador encabeçado por Tellechea ficará com o criador Joaquin Villegas. Proprietário da Estância Namuncurá, em Itacurubi (RS), onde dedica-se à raça Charolês há 28 anos, ele assumiu a presidência com foco em ampliar os registros de novas raças. “Muito foi feito e o cenário está pronto para se fazer ainda mais. Acredito que trabalho consistente se constrói com diálogo e esse será o tom da nossa gestão”.


Em seu discurso de posse na festa de reinauguração da sede da entidade no dia 29 de novembro, citou que, entre os pilares que guiarão sua gestão entre 2022 e 2024, está a qualificação de processos e equipes, expansão da comunicação e o aperfeiçoamento constante do sistema Origen, que integra os dados de registro e melhoramento genético dos rebanhos.


Entre as metas para sua gestão à frente da entidade, Villegas destaca, além da inclusão de novas raças para registro, a diminuição de custos de serviços para os associados e continuação dos processos de consolidação e qualificação de inspetores técnicos e avaliadores.


“A ANC contribuiu muito com o aumento da produção de proteína animal no Brasil através do Promebo. Seus dados agregam informação e precisão na seleção das principais raças taurinas. Nosso objetivo é dar continuidade a esse processo e assegurar espaço para a ampliação dessas atividades”, frisou o pecuarista uruguaio, que é usuário do Promebo e incentivador do avanço dos rebanhos registrados.


De cara nova


A sede administrativa da Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC) está de “cara nova”. Localizado em Pelotas (RS), o espaço foi reinaugurado em festa no dia 29 de novembro, com a presença de criadores de diferentes raças e da prefeita do município, Paula Mascarenhas, filha do criador Fernando Octávio da França Mascarenhas, que presidiu a ANC entre 1974 e 1977. O casarão, construído entre o fim do século XIX e início do século XX, foi totalmente restaurado, mantendo a fachada original e um trecho importante da história da pecuária nacional.



A sede passou por quatro grandes reformas em 1945, 1975, 2001 e 2020. Esta última obra, que teve seu início em janeiro do ano passado, foi assinada pelo arquiteto e urbanista e diretor da AT Arquitetura, Maurício Ceolin, que teve o desafio de unir modernidade e tradição, adaptando o ambiente de trabalho para um estilo contemporâneo, mas mantendo a fachada do casarão preservada.


Tellechea explica que a reforma do casarão representa a nova visão da entidade, focada na tecnologia, na sustentabilidade e na qualificação da prestação de serviços. “Eu acredito que com essa modernização da sede atingimos bases muito sólidas para alçarmos novos voos em busca de uma excelência ainda maior no que fazemos, mas sem perder nossas raízes”.


Joaquin Villegas


Joaquin Villegas assume com foco em aumentar registros.

Novo presidente da ANC, Joaquin Villegas, assumiu a entidade com foco em expandir o registro de novas raças e de dar sequência ao trabalho de Ignacio Tellechea. E para isso não irá lhe faltar experiência. Criador de Charolês há 28 anos na Estância Namuncurá, Itacurubi, Vilegas já foi presidente da Associação Brasileira de Criadores de Charolês por dois mandatos consecutivos, entre 2010 e 2014. Além disso, integrou a diretoria da ANC nos últimos seis anos. Confira entrevista com o presidente:


Como começou a sua história com a pecuária?

Eu nasci no Uruguai, em Montevidéu, e moro no Rio Grande do Sul há 32 anos. A minha história com a pecuária começou ainda no Uruguai, na fazenda Alma Paz. No Brasil, atuo na Estância Namuncurá, localizada em Itacurubi (RS). A propriedade pertencia ao meu sogro. Ele criava Charolês desde 1954, mas faleceu em 1993. Desde então, eu e minha esposa passamos a cuidar da propriedade. Todos os animais PO da nossa fazenda sempre foram registrados na ANC desde 1954 e ingressamos no Promebo pela primeira vez em 1994.


Quais são as metas de sua gestão?

Primeiramente, precisamos continuar trabalhando para consolidar o Origen que entrega informação para todo e qualquer pecuarista, é um banco de dados público. Além disso, quero aumentar o número de raças registradas na ANC, qualificar o corpo técnico e os processos dentro da associação e promover o Promebo por todo o país. Também entendemos que é importante estabelecer uma aproximação com os nossos associados e demais usuários de genética.


Como você enxerga o atual momento da ANC e o que a entidade pode fazer pela pecuária nacional?

Eu comecei a integrar a diretoria da ANC há seis anos. A associação tem um papel fundamental fazendo o registro genealógico e desenvolvendo o melhoramento genético do rebanho brasileiro, o que contribui muito com o aumento da produção de proteína animal. A ANC está em um momento novo, em que estamos com todas as condições consolidadas para dar base a um projeto de expansão.


Reportagem publicada na edição de dezembro de 2021 da revistanelore. Leia a edição completa AQUI.