top of page
Buscar
  • Foto do escritorPor revistanelore

GA+Intergado agora é Ponta e lança nova tecnologia



Passados pouco mais de um ano da fusão e da expansão da empresa no mercado nacional e internacional, agora GA+Intergado assume nova marca e passa a se chamar Ponta. O nome resgata a tradicional figura do ponteiro que, assim como a tecnologia de ponta, usa seu conhecimento e sua experiência para abrir caminho seguro para a boiada avançar e a pecuária crescer.


O lançamento oficial para o mercado aconteceu dia 12 de abril, em Ribeirão Preto (SP), no Encontro de Confinamento e Recriadores realizado pela Scot Consultoria que teve como tema central o papel da tecnologia para sobrevivência dos negócios pecuários. Durante o evento, foi apresentado ao mercado o DietScanner, uma tecnologia inovadora no Brasil para automatização da leitura de cocho.


A nova marca nasce num momento em que GA+Intergado, duas das mais relevantes empresas de tecnologia na pecuária que anunciaram a fusão em dezembro de 2021, consolidam a integração da inteligência de gestão e de precisão, com um amplo portfólio de tecnologias presentes na pesquisa, na genética e na produção, conectando a cadeia pecuária de ponta a ponta.


Segundo Paulo Dias, CEO da companhia, “A Ponta nasce comprometida com a herança das marcas originárias de promover o crescimento sustentável da pecuária. A grande diferença é que, apesar de terem o mesmo propósito, antes cada marca atuava em uma ponta da cadeia. A Intergado revolucionando a pesquisa e a genética com a tecnologia de precisão e a GA revolucionando a pecuária comercial com a tecnologia de gestão. A partir da fusão, vimos que tínhamos nas mãos todos os recursos para conectar toda a cadeia e encurtar a distância entre o avanço científico e o resultado produtivo. E essa nova revolução precisava de uma nova marca. Assim, a nossa tecnologia de ponta se transformou em tecnologia da Ponta.”


Com uma plataforma completa de soluções, a empresa coleta e analisa dados para identificar as necessidades específicas de cada atividade e compreender os seus gargalos. A partir dessas informações, desenvolve novas tecnologias para melhorar o desempenho de toda a cadeia. “É como colocar pesquisadores, criadores e produtores na mesma mesa para compartilhar experiências e gerar conhecimento para todos crescerem juntos”, pontua


Marcelo Ribas, médico veterinário e Líder de Estratégia da Ponta. Um bom exemplo disso, é como as tecnologias da Ponta estão resolvendo problemas de custo alimentar em confinamentos, conectando a genética e a nutrição por meio da automação.


Considerando que, segundo monitoramento dos custos de produção realizado pela Ponta, o custo alimentar nos confinamentos chegou a 89% em 2022, ter animais mais eficientes e produtivos pode garantir a margem da fazenda. A partir dessa visão integrada da cadeia, a empresa atua na pesquisa e na genética, promovendo o aumento da seleção para Eficiência Alimentar por meio da automatização das provas para ajudar os criadores a abastecerem o mercado produtor com animais de alto desempenho e que consomem menos alimento.


Contudo, animais eficientes submetidos a um processo produtivo ineficiente não expressam seu potencial de desempenho e a fazenda “deixa o resultado na mesa”. A solução para o problema está na automatização dos processos que envolvem a nutrição animal. A Ponta, que foi a pioneira em tecnologia para automação de fabricação de ração e de fornecimento de trato, fortalece a sua atuação na nutrição do confinamento com o pré-lançamento de uma tecnologia inovadora de leitura de cocho - o DietScanner.


O DietScanner usa a visão computacional para fazer uma leitura de cocho automatizada, trazendo mais precisão ao processo ao tirar a subjetividade do olhar humano na interpretação visual do escore de cocho. A nova solução atua diretamente em uma das rotinas mais sensíveis para o ajuste de trato, com impacto direto na redução de custos da nutrição e na meta de desempenho dos animais.


Segundo Marcelo Ribas, Líder de Estratégia da Ponta, as 10 unidades que serão produzidas em 2023 já estão reservadas para confinamentos modelo que serão acompanhados pela equipe técnica para validação dos resultados.


Atualmente, a empresa que atende a 68% do mercado de confinamento gerenciando informações de mais de 3,6 milhões de cabeças confinadas no Brasil, oferece um pacote tecnológico completo com foco na eficiência da nutrição que vai desde o uso do TGC na gestão de compras, estoque e planejamento nutricional; passando pela automação dos processos de fabricação e fornecimento e de automação da leitura de cocho com o DietScanner e até o Intergado Beef que monitora o desempenho diários dos animais. As soluções associadas otimizam o trabalho da mão-de-obra, reduzem os custos de nutrição e dão mais segurança para a margem de lucro.


Responsável pela gestão de mais de R$ 22 bilhões em ativos, considerando apenas o valor dos animais gerenciados, a companhia projeta um crescimento de receita de cerca de 150% para os próximos três anos, a partir da ampliação do portfólio de soluções e da expansão da presença internacional com aumento das exportações para América Latina, do Norte e Central, Europa, Ásia e Oceania.

Commentaires


1270x190-1.gif
bottom of page