Banner-Premix---1270x190px (1).png
Buscar
  • Ivaris Júnior

PCAD ILMA 4.0 quebra paradigmas

Parcerias inéditas e inovadoras reúnem metodologias e conceitos para identificar os animais mais eficientes, zootecnicamente, e mais lucrativos, exatamente aqueles que se quer na produção.



Está finalizada a PCAD Canchim ILMA 4.0 de 2021. Trata-se da maior prova realizada pela raça, em termos de critérios tecnológicos e índices produtivos, no Brasil, o que consolida este bovino no cenário da genética avaliada capaz de entregar o que o consumidor e a pecuária competitiva querem: carne de qualidade. Vale lembrar que ILMA é a grife do canchinzeiro Irineu Lopes Machado e família, simplesmente um dos principais responsáveis pelo padrão de modernidade alcançado pela raça.


A marca comemora os resultados da 10ª edição de sua tradicional Prova de Avaliação de Touros Jovens Intrarrebanho, dessa vez, produto de uma parceria inédita envolvendo a Embrapa Pecuária Sudeste e a @Tech, empresa de tecnologia para agropecuária. Tudo foi organizado com o importante apoio da Associação Brasileira dos Criadores de Canchim (ABCCAN) e do Promebo, programa de melhoramento genético levado pela Associação Nacional de Criadores Herd Book Collares (ANC).


O certame denominado Prova Canchim de Avaliação de Desempenho, PCAD ILMA 4.0, finalizou em 15 de novembro e elencou seis animais em hall de 81, maior parte de casa, mas também oito convidados, da criação de Valentin Suchek (Canchim Canta Galo), todos nascidos entre abril e novembro de 2020. Os melhores desempenhos ainda contaram com o julgamento morfológico de Alexandre Zadra, um dos zootecnistas de maior trânsito na criação de gado europeu, no Brasil, e renomado especialista em cruzamento industrial.


As bases da PCAD ILMA 4.0


Então vamos compreender a prova. Além de características convencionais e as importantes avaliações de qualidade de carcaça e carne, esta PCAD incorporou o desempenho de reatividade, definido pela pesquisadora Cíntia Marcondes; e de lucratividade, pela plataforma do BeefTrader, da startup @Tech. Também esteve em estudo a estimativa de consumo individual e eficiência alimentar dos animais.


As informações foram coletadas por sensores e balanças inteligentes, associadas aos dados de mercado (preço da arroba), para estimar o valor daquele reprodutor na geração de animais mais lucrativos no frigorífico. “Pelo que sei, nenhuma prova de avaliação tem esse indicador. Inteligência como essa permite que os produtores tenham informações valiosas para compreender o real valor genético dos animais que vai comercializar”, explica Tiago Albertini, diretor da @Tech.


O que se pretende dessa tecnologia é habilitar que cada pecuarista possa estimar, na entrada do confinamento, o lucro de cada animal, sem a necessidade dos 150 dias de prova para conferir resultados mais palpáveis. “O software antecipa quais animais poderão ser superiores. Na prática, isso permite ao produtor repensar o manejo durante a prova e melhorar o desempenho do rebanho. Trata-se de uma ferramenta importante na tomada de decisão”, explica Albertini.


Inovações em várias óticas


Atualmente, o uso de startups e tecnologias de precisão é cada vez mais recorrente na pecuária. São cerca de dez plataformas disponíveis no agro, porém, com pouca aplicação efetiva em provas zootécnicas. Com a inclusão do BeefTrader no sistema de avaliação da PCAD ILMA, ela torna-se uma das provas mais completas do País e conectada às tendências da Pecuária 4.0, conceito que vem ganhando espaço no setor e está diretamente ligado ao uso de automação, aplicativos, internet e funcionamento em rede, para “tecnificar” a atividade.


Para Adriano Lopes, zootecnista responsável pelo rebanho Canchim ILMA, filho de Irineu Machado, a mudança foi estratégica. Um dos diferenciais apontados por ele é que, por intermédio da parceria com as instituições, as avaliações dos animais se tornaram ainda mais eficientes e trouxe um grande diferencial aos seus consumidores de touros, pois a nova metodologia aplicada na prova trará ferramentas possíveis para estimar o consumo individual de alimentos e o ganho de peso diário, possibilitando a identificação de animais que para o mesmo ganho, consomem menos ração, diminuindo os custos de produção.


Adriano aponta também que a inclusão da avaliação de temperamento, realizada pela pesquisadora especializada, garantiu animais capazes de ser mais produtivos e eficientes, trazendo aos pecuaristas menores riscos de incidentes e animais capazes de produzir carcaças de melhor qualidade e com maior eficiência, pois a reatividade dos animais tem influência positiva direta sobre o desempenho e comportamento produtivo desses indivíduos.


Irineu Lopes Machado ao centro, entre os filhos André e Adriano.

Inclusão de novas tecnologias


Segundo Minos Carvalho, pesquisador em genômica da @Tech, a implementação de novas tecnologias na pecuária hoje é um processo contínuo e acelerado. Cabe aos produtores e técnicos saberem aproveitá-las estrategicamente dentro do negócio, e alguns produtores saírem na frente para agregar valor. Para ele, a riqueza e a qualidade das informações geradas pelos índices da prova, deram outra perspectiva à seleção de bovinos.


“É uma satisfação poder participar da implementação de inovações na PCAD ILMA 2021. Além de tantas informações novas que foram geradas para o entendimento da produtividade dos touros envolvidos, compondo índices, ranqueando e selecionando os melhores, a possibilidade de acompanhar o desempenho zootécnico e lucrativo de cada um deles, por um computador, celular ou tablete, foi sensacional. E tudo em tempo real”, disse Minos.


Para Cíntia Righetti, pesquisadora da Embrapa Pecuária Sudeste, a PCAD ILMA 4.0 conseguiu agregar, em um mesmo momento, a avaliação de reatividade, incorporada na Prova Nacional da Raça Canchim desde 2018, com a informação da lucratividade individual, realizada nas edições de 2018 e 2019 da Prova Nacional. Isso só foi possível graças à visão inovadora da família ILMA unida à pesquisa aplicada, com a participação da Embrapa e seu know how em trabalho conjunto com a jovem startup, de destaque no mercado. “Os resultados dessa parceria foram excelentes”, disse Cíntia.


Aferições da PCAD ILMA 4.0


Dentre todas as características, foram avaliadas Ganho de Peso Diário, Perímetro Escrotal Ajustado, Área de Olho de Lombo, Espessura de Gordura Subcutânea, Marmoreio, Aprumos, Pelagem, Lucratividade, Reatividade e Eficiência Alimentar Estimada. No dia 19 de outubro realizou-se as últimas medições.


Nesta prova uma das inovações ficou por conta das avaliações morfológicas realizadas a partir do sistema Promebro, ampliando as opções para a raça Canchim. Particularmente para os animais ILMA, técnicos também fizeram avaliações na metodologia Geneplus/Embrapa, na tentativa de fomentar aos programas e aos criadores a importância da unificação das avaliações genéticas entre os programas.


Como tradicionalmente acontece, a prova foi dividida em dois grupos contemporâneos, de onde saíram animais Ouro, Prata e Bronze de cada um. Os melhores animais se destacaram na mensuração de 4 índices distintos. O de número 1, Tradicional, deu 34% de valor para Ganho de Peso Diário (GPD) + Peso Final; 13% para Perímetro Escrotal (PE); 15% para Área de Olho de Lombo (AOL) + Espessura de Gordura Subcutânea (EGS); 18% para avaliações morfológicas (funcionalidade); 5% para Reatividade (temperamento); e 15% para Eficiência Alimentar (EF).


O índice 2 foi denominado Lucratividade e considerou em 100% o desempenho dos animais em 70 dias de prova, segundo leituras do BeefTrader. O índice 3, Lucratividade + Reatividade, deu peso de 50% para o índice 2 e 50% para as leituras de temperamento. E, finalizando, o índice 4, o Alternativo, atribuindo 30% para lucratividade, 13% para PE, 20% para AOL + EGS + MAR (marmoreio), 24% para funcionalidade e 13% para reatividade.


Na visão geral dos 4 índices, concomitantemente, foram separados os melhores animais de cada grupo. Pelo foco na divulgação do melhoramento genético para a cadeia produtiva da carne – razão maior do Canchim pelo cruzamento industrial, para servir eventualmente em centrais de coleta – esses animais em destaque foram levados para avaliação final do zootecnista e consultor Alexandre Zadra, um especialista no assunto.


A ILMA Agropecuária


Desde 1989, a ILMA Agropecuária vem trabalhando na seleção genética da raça Canchim, com a missão de fornecer tecnologia de ponta ao mercado, por meio de animais concebidos a partir de pesquisa, capazes de aumentar a produtividade e levar lucro aos seus clientes. Trata-se de um criatório vencedor nas principais pistas de avaliação morfológica e gerador de touros líderes de sumários.


Por sua jornada vitoriosa e militância pela raça, o titular Irineu Lopes Machado se tornou um dos pilares que sustentam a evolução que este gado realizou no cenário nacional. Parceiro e batalhador, o criador conquistou o sucesso e cativou verdadeiros amigos. A ILMA Agropecuária está no município de Angatuba (SP) e, inicialmente, produziu cereais. Mas pouco tempo depois se voltou para a produção de carne.


Quando surgiu o cruzamento industrial, com a promessa de levar aos pecuaristas ganhos em produtividade, maior peso aos animais em um menor espaço de tempo, ciclo de produção do boi encurtado e maior produção de carne por hectare em um determinado período, Irineu começou a fazer cruzamentos comparando touros de diversas raças, até se fixar no Canchim.


“O touro Canchim tem melhor performance e adaptação quando comparado às outras raças de origem europeia pelo fato de ser um animal bimestiço, criado e desenvolvido a partir de pesquisas da Embrapa para atender às necessidades e realidades do clima brasileiro”, explica. A qualidade dos produtos obtidos foi tão boa que Irineu decidiu produzir seus próprios touros para servir vacas aneloradas que possuía. Logo, porém, descobriu a qualidade do rebanho puro, o que o levou a adquirir suas primeiras novilhas.


Canchim ILMA tem na sua base de plantel fêmeas do saudoso Francisco Jacintho Silveira, dono da marca FJ. “Comprei mais algumas fêmeas de outros criatórios, principalmente da Embrapa. No entanto, voltei na FJ e dobrei a dose, comprando mais 100 fêmeas e dois touros”, lembra Irineu. Em quatro anos ele se tornou um dos mais importantes criadores da raça no Brasil. Hoje, Irineu conta com o apoio da esposa, Marilu, e dos filhos André e Adriano na administração.


A ILMA Agropecuária conta com mais de três mil animais – entre puros e resultados de cruzamento –, agricultura e reflorestamento. “O foco de produção atual da empresa não é mais apenas a pecuária de corte, procuramos direcionar nossa produção e otimizar cada área específica focando a produção naquilo que é de fato vocação de nossas terras”, conclui Irineu.


Cachim ILMA busca incessantemente carne de qualidade para a raça como grande diferencial.

Reportagem publicada na edição de dezembro de 2021 da revistanelore. Leia a edição completa AQUI.

andav_22_banner_1270x190px.png